Archive for fevereiro \06\UTC 2009

Música marroquina anônima

sexta-feira, 6 \06\UTC fevereiro \06\UTC 2009

Clicando nesse link, você ouvirá uma curiosa e agradável música instrumental marroquina. Não se sabe quem toca a música, tampouco se vendem CDs dessa música. Estranho, não é? Para saber mais, visite o Diário da África.

A propósito, é impressão minha ou essa música lembra algum estilo musical brasileiro, ao menos de leve? Estou com essa sensação…

Fortran 5

quarta-feira, 4 \04\UTC fevereiro \04\UTC 2009

Oddee é um blog de curiosidades. Esses dias, fizeram um post sobre as prováveis quinze capas de discos mais horrendas. Entre as monstruosidades, havia um disco de um grupo chamado Fortran 5. Eu, que programo computadores e sei o que FORTRAN é, resolvi conferir como era a música desse grupo.

Pois bem, Fortran 5 é uma banda de pop eletrônico do início dos anos 90. O núcleo da banda são os músicos David Baker e Simon  Lawrence Leonard, e em várias músicas há participações especiais. Baker e Leonard já trabalharam juntos antes, no grupo I Start Counting e continuam trabalhando até hoje, sob o nome de Komputer. Em verdade, me parece razoável dizer que Fortran 5 é I Start Counting com outro nome, assim como é o nome anterior de Komputer.

E não é que eles fizeram umas músicas legaizinhas? Confesso que não gostei muito do que fizeram quando eram I Start Counting, mas, como Fortran 5, eles fizeram músicas bem legais. Como Komputer, mudaram para uma veia ainda mais eletrônica, alternativa, meio Kraftwerk; ainda prefiro as músicas do Fortran 5, mas não posso dizer que Komputer é ruim.

Ficou curioso? Você pode conhecer mais sobre o grupo na página deles. Procurar por Fortran 5 no YouTube também é uma boa pedida. Eles também tem um canal no YouTube, com inúmeros videoclipes. Agora que já passei as referências, vamos à música, que é o que importa!

Time to Dream é minha música preferida dentre as deles. Pela popularidade na pesquisa do YouTube, não devo estar sozinho. É uma música meio romântica, bastante otimista, com uma letra feliz – embora, naturalmente, não tão feliz.

Love Baby é outra música que gosto bastante, e já é mais abstrata:

O “segundo lugar”, porém, eu concedo a Heart on the Line:

Por fim, uma música mais psicodélica – Persian Blues:

PS: eu só vim a conhecer Kraftwerk depois de pesquisar sobre Fortran 5. É a segunda vez que conheço uma banda conceituada através de uma outra, menor. A primeira vez foi quando descobri The Smiths atráves de The Housemartins. Curioso, não?

“Estadunidense”, seu stalinista?!

domingo, 1 \01\UTC fevereiro \01\UTC 2009

Esses dias, em uma lista de discussão, eu usei o termo “estadunidense” e alguém respondeu que só viu marxistas clássicos usarem a palavra. Como de vez em quando eu uso o termo aqui, vai aí um aviso: não, eu não sou marxista, comunista nem membro de DCE. Eu só uso a palavra porque é mais clara e específica.Também não vou discutir com ninguém que use os termos “norte-americano” ou “americano” para se referir aos cidadãos dos Estados Unidos.

Sabe como é, não custa nada avisar…


%d blogueiros gostam disto: